Foto: Reprodução
AgriculturaAgronegócioDestaqueEconomiaPecuáriaPolítica

Exportações brasileiras de soja e milho para a China seguem tendência de alta

Os chineses também garantiram aumentar os investimentos no Brasil

14views

A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil (Mapa), Tereza Cristina, o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Bartolomeu Braz, e outras autoridades, participaram nesta terça-feira (14), de um encontro com dirigentes do banco internacional Rabobank, empresários e analistas de mercado, em Xangai (China).

Após o evento, Bartolomeu afirmou que em decorrência do surto de Peste Suína Africana (PSA), as exportações de carne suína brasileira devem se manter aquecidas a curto prazo e beneficiar a produção de soja e milho voltada para a alimentação dos rebanhos.

“A queda de consumo de soja brasileira na China para alimentação animal deve ser compensada com a produção de carnes de frango e suína em nosso país a serem exportadas para os chineses. A soja e o milho ganham substancialmente com isso”, avaliou.

Conforme o Rabobank, o consumo de frango e carne bovina compensará o problema sanitário ocorrido na China. A princípio, a carne mais beneficiada com a PSA é a de frango, que teve o preço e o consumo elevados a níveis recordes.

O banco também projetou que a soja brasileira deve ser minimamente afetada, principalmente, porque o consumo de oleaginosa deve crescer e se estabilizar no próximo ano. Ainda conforme a projeção, a guerra comercial com os Estados Unidos deve permanecer, fator que favorece o grão brasileiro.

Ainda durante o encontro, o presidente da Aprosoja Brasil, questionou os representantes do Rabobank sobre a possibilidade de os chineses elevarem suas importações do milho do Brasil.

“Segundo o banco, essa é uma tendência atual, uma vez que os estoques internos do cereal estão em queda e no longo prazo o país tem limitações de área e solo para expandir sua produção”, relatou Bartolomeu.

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado federal Alceu Moreira (RS), deputados membros da FPA, representantes da Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carne (Abiec), o diretor administrativo da Aprosoja MT, Lucas Beber, o diretor executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa, e empresários brasileiros, também integraram a comitiva durante o encontro.

Investimentos em logística

O ministério da Agricultura informou que durante a agenda, investidores chineses se comprometeram com a ministra Tereza Cristina, a aumentar os investimentos no Brasil.

Um grupo de 40 investidores com projetos em solo brasileiro assistiram Tereza apresentando dados do setor agropecuário e áreas com potencial de crescimento no Brasil. Os empresários teriam informado que pretendem aumentar o montante aplicado no Brasil, em setores de sementes, suinocultura, infraestrutura e ferrovias.

Peste Suína Africana

A PSA é uma doença contagiosa, causada por um vírus composto por DNA fita dupla. A enfermidade não atinge o homem, sendo exclusiva de suídeos domésticos e asselvajados (javalis e cruzamentos com suínos domésticos).

O vírus é bastante resistente e pode ser transmitido ao animal por meio de alimentos, equipamentos, sapatos, vestuários e no transporte contaminados.

A peste é observada desde o início do século 20 no sul e leste africanos e inicialmente era caracterizada pelos aspectos clínico-patológicos semelhantes à Peste Suína Clássica (PSC). No entanto, posteriormente foi descoberto que as duas enfermidades são distintas.

Em setembro de 2018, o vírus da PSA foi detectado em suínos de subsistência na China e na Romênia e em javalis na Bélgica. Nestes surtos, a fonte comum de infecção foram restos de alimentos contendo produtos não cozidos, derivados de suínos, contaminados com o vírus. Além disso, não existe vacina ou tratamento para doença.

Leave a Response