DestaquePecuária

Caso de raiva bovina é diagnosticado em Sorriso

36views

Animais presentes em propriedades do assentamento Jonas Pinheiro em Sorriso(400 km de Cuiabá), deverão ser vacinados. O alerta foi emitido após um veterinário diagnosticar um animal bovino contaminado com o vírus da raiva.

De acordo com profissionais do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), a patologia é altamente transmissível e por isso todas os animais em que vivem no raio de 12 km devem receber a vacinação.

O Indea informou que a doença foi diagnosticada por um veterinário autônomo e que ao perceber a gravidade da patologia acionou o Instituto e orientou que o animal fosse sacrificado.

O profissional ainda relatou que a vaca estava esperando filhotes, e ao examiná-la percebeu que ela apresentava sinais da doença. Assim que colheu amostras e realizou exames mais preciso, constatou que o animal estava contaminado com raiva.

Aproximadamente 200 propriedades foram notificadas.

“A raiva é uma patologia, transmitida principalmente pela mordida de morcegos hematófagos, esses animais transmitem o vírus por meio inoculação da saliva dos animais infectados. O vírus pode ser incubado durante 6 meses e ser contraído pelo contato com o sangue e saliva em mucosas de qualquer animal”, explicou o prisional formado há 32 anos em zootecnia, Alcione Slaviero.

O profissional ressaltou que nos seus 20 anos de trabalho com vacinação e prevenção contra raiva, a cura para a doença não foi encontrada.

“A raiva é uma patologia um tanto complexa, irreversível e não possuí tratamento ou cura. Essa patologia pode atingir qualquer animal. Seus principais sintomas são dificuldade na coordenação motora, insensibilidade ao toque, desvio lateral de cauda, salivação excessiva, dificuldade em deglutir, agressividade, paralisia flácida, o animal não consegue se levantar”, pontuou Slaviero.

Alcione finalizou lembrando que o animal infectado pode sobreviver entorno de 3 à 6 dias.

Leave a Response